Questions? Feedback? powered by Olark live chat software
(11) 98814-0429
(11) 3031-3599

A influência do francês no Rio de janeiro [bônus: curso gratuito]

Por Juliana Azevedo novembro 05, 2018
cristo redentor rio de janeiro brasil

O Rio de Janeiro, como Curitiba e Brasília, recebeu muitas influências francesas ao longo da sua história. Se você também está curioso para saber um pouco mais dessa relação, vem com a gente, nós vamos te explicar de forma breve alguns pontos importantes da história dos franceses no Rio, como isso modificou a relação da cidade com a França e como você vai querer fazer um curso grátis de francês depois de ler esse texto! On y va !

 

Primeira vinda dos Franceses

Desde o século XVI, os franceses frequentam o litoral do Rio de Janeiro. Eles chegaram em busca de pau-brasil, e em meados de 1555 invadiram a cidade fundando a França Antártica, hoje corresponde à região do lado do aeroporto Santos Dumont, na baía da Guanabara.

Essa invasão se deu não só por motivos econômicos, mas também era uma forma dos protestantes se esconderem, fugindo das perseguições religiosas na França.

Os franceses permaneceram no Rio por 12 anos, e mesmo apoiados pelos indígenas, foram expulsos pelo governador Mem de Sá em 1567.

 

A vinda de artistas

A abdicação do imperador Napoleão Bonaparte deixou muitos franceses bonapartistas em situação difícil. Alguns desses franceses, os artistas principalmente, resolvem vir para o Brasil oferecer seus serviços a D. João VI, que em 1808, tinha transferido a corte portuguesa para o Brasil. Esses grupo de artistas franceses ficaram conhecidos como Missão Artística Francesa e foram os responsáveis em fundar a Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios.

 

Mais 17 navios chegam da França

Outra caravana de franceses veio para o Brasil neste período. Um total de 17 navios que embarcavam pessoas idosas, jovens, religiosos, comerciantes, artistas, etc.

Não há muitos dados sobre a imigração de cidadãos comuns ao Brasil. O Ministério das Relações Exteriores da França estimou em 1911 que existiam 3.624 franceses vivendo no Rio de janeiro naquele ano. Essas pessoas buscavam uma vida melhor, pois existia um imaginário que o Brasil era o Novo Mundo, onde era possível fazer riqueza. Com a falta de mão de obra qualificada e produtos para a elite do Brasil, os franceses logo acharam emprego.

 

A influência consequente dessa presença

Essa micro imigração de franceses ao longo do século XIX, fez com que o reinado de D. Pedro fosse um dos mais elegantes de todos. Entre 1850 até o final do século XIX, o volume comercial entre Brasil e França só foi superado pela relação Brasil e Inglaterra, pois a elite brasileira e portuguesa consumia muito objetos de luxo, decoração e vinhos.

Essa influência também aparece na arquitetura. Por exemplo, na criação dos boulevards franceses no início da década de XX, um projeto do presidente Rodrigues Alves para deixar a cidade mais higiênica e arborizada. As casas também ganham um pé direito mais alto e os cômodos ficam mais independentes e ventilados.

Além disso, edifícios clássicos da paisagem do Rio de Janeiro também foram idealizados por arquitetos franceses, entre eles está o Copacabana Palace, projetado por Joseph Gire. A influência na arquitetura vai perdurar até a Segunda Guerra Mundial e se manifesta em cinco estilos: o neoclássico, o eclético, o Art Déco, o Art Nouveau e o Moderno.

 

Como a ligação com a França permanece hoje?

Empresas francesas

Quem mora no Rio de Janeiro continua se beneficiando da ligação que a cidade possui até hoje com a França. Uma dessas vantagens é a quantidade de empresas francesas no Rio, como:  l’OréalGrupo PSACarrefour.

A l’Oréal abre todos anos programa de estágio, o The Management Trainee Program e ainda o Brandstorm, um desafio de marketing que desafia os jovens a criarem e se expressarem sendo líderes de uma grande marca internacional.

O Carrefour, uma das maiores redes de supermercado do mundo, abre seus programas de estágio duas vezes ao ano. Além destes, existe também o programa de Trainee Loja, onde jovens talentos são treinados para comandar operações do grupo, e o programa Trainee Comercial, que desenvolve aqueles que assumirão cargos de Gestores de Produtos.

O grupo PSA abriu um Polo Industrial Brasil (PIBR) em Porto Real – Rio de Janeiro em 2001, tornando possível trabalhar em uma das maiores empresas automobilísticas do mundo.

Além de todo o aprendizado profissional, você ainda pode realizar o sonho de morar na França trabalhando em uma das filiais! Ter um bom nível de francês é um dos requisitos para conseguir uma boa vaga em uma empresa francesa e ainda mais importante se você espera crescer na empresa.

Duplo diploma com a França

Estudar na França parece muito distante?

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a PUC-RIO oferecem aos seus alunos a possibilidade de duplo diploma na França. Na UFRJ a oportunidade se abre para os estudantes de engenharia e matemática. Na PUC-Rio você faz o início da graduação no Brasil e de um a dois anos em uma faculdade no exterior, recebendo no final, o diploma de ambas as universidades. Lembrando que a proficiência na língua francesa é um dos requisitos para que o aluno seja selecionado para o programa de duplo diploma na França.

Como começar a estudar francês?

Ficou interessado em buscar um curso de francês no Rio de Janeiro? No Curso de Francês Online – CFOL, do grupo IFESP, você encontra cursos para todos os níveis de francês, com metodologia inovadora e professores nativos e formados em FLE (Français Langue Étrangère).

Você pode começar gratuitamente hoje, experimentando uma amostra dos nossos cursos Básico 1Intermediário 1 e Francês para Viagem e Turismo aqui:

Experimentar Curso Grátis

 

Bon cours et à bientôt !

 

Social Shares

Artigos relacionados

Escrever comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *