Questions? Feedback? powered by Olark live chat software
(11) 98814-0429
(11) 3031-3599

Uma breve história dos franceses no Rio de janeiro

Por Juliana Azevedo novembro 05, 2018
cristo redentor rio de janeiro brasil

O Rio de Janeiro recebeu muitas influências francesas ao longo da sua história. Se você também está curioso para saber um pouco mais dessa relação, vem com a gente, nós vamos te explicar de forma breve alguns pontos importantes da história dos franceses no Rio.

 

Primeira vinda dos Franceses

Desde o século XVI os franceses frequentam o litoral do Rio de Janeiro. Primeiro eles chegaram buscando pau-brasil, depois em 1555 invadiram a cidade e fundaram a França Antártica que hoje em dia corresponde a região do lado do aeroporto Santos Dumont, na baía da Guanabara. Essa invasão se deu não só por motivos econômicos, mas também era uma forma dos protestantes, fugindo das perseguições religiosas na França, se esconderem.

Os franceses permaneceram no rio por 12 anos, embora fossem apoiados pelos indígenas,foram expulsos pelo governador Mem de Sá em 1567.

 

A vinda de artistas

Em 1816 uma outra motivação impulsionou a vinda de franceses ao Brasil. Tudo começa a com a abdicação do imperador Napoleão Bonaparte, que deixa muitos franceses bonapartistas em situação difícil. Alguns desses franceses, os artistas principalmente, resolvem vir para o Brasil oferecer seus serviços a D. João VI, que em 1808, tinha transferido a corte portuguesa para o Brasil. Esses grupo de artistas franceses ficaram conhecidos como Missão Artísticas Francesas e foram os responsáveis em fundar a Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios.

 

Mias 17 navios chegam da França

Outra caravana de franceses veio para o Brasil, também em 1816, foram um total de 17 navios que traziam diferentes tipos de pessoas como: pessoas idosas, jovens, religiosos, comerciantes, artistas, etc. Porém, não há muitos dados sobre a imigração de cidadãos comuns, o ministério das relações exteriores da França, estimou, em 1911, que existiam 3.624 vivendo no Rio de janeiro naquele ano. Essas pessoas buscavam na maioria das vezes uma vida melhor, pois existia um imaginário que o Brasil era o Novo Mundo, onde era possível fazer riqueza. Com a falta de mão de obra qualificada e produtos para a elite do Brasil, os franceses logo acharam emprego.

 

Influência dessa presença

Essa micro imigração de franceses, ao longo do século XIX, fez com que o reinado de D. Pedro fosse um dos mais elegantes de todos. Entre 1850 até o final do século XIX, o volume comercial entre Brasil e França só foi superado pela relação Brasil e Inglaterra, isso porque a elite brasileira e portuguesa consumia muito objetos de luxo, decoração e vinhos.

Essa influência vai chegar também na arquitetura. Por exemplo, na criação dos boulevards franceses no início da década de XX, um projeto do presidente Rodrigues Alves, para deixar a cidade mais higiênica e arborizada. As casas também ganham um pé direito mais alto e os cômodos ficam mais independentes e ventilados.

Além disso, edifícios clássicos da paisagem do Rio de Janeiro também foram idealizados por arquitetos franceses, entre eles está o Copacabana Palace, projetado por Joseph Gire. A Influência na arquitetura vai perdurar até a Segunda Guerra Mundial e se manifesta em quatro estilos: o neoclássico, o eclético, o Art Déco ou Art Nouveau e o moderno.

 

Você sabia dessas histórias? Comenta aqui o que você achou.

 

Você mora no Rio de Janeiro e quer estudar Francês e aprender um pouco mais dessa cultura que tanto influenciou a cidade maravilhosa? O Curso de Francês Online – CFOL, do grupo IFESP, está com uma promoção incrível no mês de novembro, O Black Novembre, são descontos de até 70% em todos os cursos.

Para participa? É só fazer o seu cadastro e aproveitar. São mais de 20 mil alunos formados pela escola CFOL. Venha fazer parte dessa história!

No CFOL Você encontra cursos para todos os níveis de francês, metodologia inovadora e professores nativos e formados em FLE (Français Langue Etrangère).

 

Social Shares

Artigos relacionados

Escrever comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *