Fluentes em francês: mercado de trabalho brasileiro vive “boom” de oportunidades

30 de agosto de 2021
Por  Administrativo

Que tal se tornar professor de francês numa universidade pública com R$ 9.600 de remuneração inicial bruta? Ou então, no setor privado, deslanchar carreira promissora numa multinacional francesa? Ser fluente em francês pode te proporcionar isso!

Se você já fala a língua de Molière, félicitations: existe um universo de oportunidades te esperando! E se você apenas arrisca o bonjour, não tem problema: ainda dá tempo de engrenar nos estudos e se tornar fluente em francês. Além disso, o mercado braisleiro está cheio de oportunidades. Portanto, há vagas, e essa é a boa notícia!

Topo do ranking

Existem 800 empresas francesas instaladas hoje no Brasil. Essas, empregam cerca de 500 mil pessoas em diversas regiões. Um exemplo são os 1.000 funcionários da BIC na Amazônia, onde são produzidas 95% das canetas que a marca comercializa em território nacional.

Sandrine Ferdane, presidente da Câmara de Comércio França-Brasil, afirma que o montante de investimentos da França no Brasil chega à cifra de US$ 29 bilhões, numa aposta superior àquela destinada a países como a China. Apenas no primeiro trimestre deste ano, os investimentos foram de US$ 8,6 bilhões, um recorde histórico.

Dessa forma, a França se consolida como principal empregadora e investidora estrangeira no Brasil. Portanto, desbanca a aparente importância dos Estados Unidos em nosso mercado de trabalho. Veja um exemplo: são as empresas francesas as maiores pagadoras de tributos no Estado de São Paulo.

Tudo vai de vento em popa, por enquanto. Especialistas temem que os bons e inéditos resultados sejam afetados por desgastes diplomáticos. Porém, apostam na solidez e na diversidade da presença empresarial francesa. Ela está em setores como construção civil, medicamentos, cosméticos, hotelaria, gás, petroquímica e energias renováveis.

Grandes multinacionais francesas alimentam o ciclo positivo, como Renault, Leroy Merlin, AccorHotels, L’Oréal, Grupo Casino e Decathlon.

Instrutor de francês

A área do ensino também possui oportunidades interessantes. Escolas particulares e universidades públicas e privadas têm recrutado professores de francês e costumam pagar bons salários. A exemplo da vaga na Universidade Federal da Paraíba a que se refere a abertura deste texto. 

O aumento da procura por professores de francês provocou a expansão da oferta de cursos dedicados a quem já leciona ou deseja ensinar o idioma. O IFESP, por exemplo, lançou uma Formação Didática para Professores de Francês – FLE, que, além de preparar instrutores, disponibiliza o uso de todo o material didático do instituto.

Redes de contatos

Esse “boom” de oportunidades deu origem, não à toa, a diversos grupos de network em redes sociais e aplicativos de celular, reunindo franceses e brasileiros que oferecem e/ou buscam vagas.

 A melhor plataforma é, sem dúvida, o LinkedIn, com destaque para as páginas France Alumni Brasil e IFESP. No WhatsApp, o grupo Francês Exponencial reúne pessoas de ambas as nacionalidades que praticam a conversação apenas em francês e, de quebra, colaboram com a construção de uma ampla rede de network. Para além do mundo virtual, quem prefere trocar cartões e fazer encontros olho no olho pode participar do Alumni Art Experience

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos.

Curso de Francês Online