Questions? Feedback? powered by Olark live chat software
(11) 98814-0429
(11) 3031-3599

Os 27 erros mais frequentes de gramática em francês

Por Milah Wainer abril 23, 2019

Enquanto brasileiros, quando não sabemos falar algo em francês, o mais comum é que tentemos traduzir literalmente, da gramática em português para a gramática em francês. Por mais que funcione em alguns casos, hoje vamos mostrar o quão necessário é tomar cuidado com essa e outras manias na hora de aprender francês.

Temos certeza que todo mundo que estuda a língua francesa vai se identificar com esses erros, já que deve ter os cometido em algum momento (até nossa equipe bilíngue!). Mas não se preocupe, é do tipo de coisa que você só precisa que alguém te dê um toque de amigo, e depois não vai mais esquecer 🙂

 

  1. VERBO ÉTUDIER

Por mais que soe muito mais familiar falar “j’étude”, não está certo! Muitos brasileiros cometem este erro. A forma correta do verbo étudier conjugado na primeira pessoa do singular, no presente seria:

J’étudie le français (pronúncia do verbo: “e-tu-dí”).

 

  1. “FAIRE UNE QUESTION” / POSER UNE QUESTION

Da série: traduzindo tudo literalmente, esse caso é um clássico que todo brasileiro aprendiz de francês vive.

Para perguntar para seu instrutor de francês se você pode “fazer uma pergunta”, você não dirá “Je peux faire une question ?”, ao contrário do que o nosso instinto brasileiro manda. O que se diz, nesses casos, é

Je peux poser une question ?

 

  1. POURQUOI / PARCE QUE

Algumas línguas, como o português, empregam a mesma expressão como pergunta e resposta. É o caso do nosso “por que/porque”. Em francês, assim como no inglês, a história é outra, e o fato da forma de pergunta ser parecida com a nossa, é comum que os brasileiros pensem que a resposta seja igual.

Para fazer uma pergunta, utiliza-se o pourquoi.

Ex. Pourquoi tu n’es pas venue au travail ?

Já para a resposta, utilizaremos o parce que.

Ex. Parce que je suis tombée malade.

Há ainda uma terceira utilização: o pour quoi separado. É o caso de quando queremos usar uma preposição seguida por um pronome relativo.

Ex. J’ai monté tout le projet de A à Z, j’ai fait une maquette, une présentation et tout ça pour quoi ? Pour rien du tout ! (Eu montei todo o projeto de A à Z, eu fiz uma maquete e uma apresentação e tudo isso por que? Por nada!)

 

  1. QU’EST-CE QUE / CE QUE

Outro erro comum de repetição em perguntas e respostas. Imagino que ele aconteça pelo fato da pronúncia do qu’est-ce que se assemelhar um pouco com “o que que” em português.

Para fazer uma pergunta, podemos começar com as locuções est-ce que ou qu’est-ce que, se ela começar com “o que…?”.

Ex. Qu’est-ce que vous voulez boire ? (O que a senhora quer beber?)

O erro está em responder da mesma forma: “je ne sais pas qu’est-ce que je vais boire”. A resposta certa seria:

Ex. Je ne sais pas encore ce que je vais boire. (Eu ainda não sei o que eu vou beber)

 

  1. ALLER BIEN / ÊTRE BIEN

Esta é uma confusão clássica não só para os brasileiros, mas para os falantes de espanhol e inglês também.

Para perguntar se uma pessoa está bem, não usamos o verbo être em francês, e sim o aller. A pergunta seria:

Tu vas bien ?

Ou ainda: Vous allez bien ?

Être bien pode ser empregado quando queremos dizer que nos sentimos bem em determinado lugar, por exemplo.

Ex. Je suis très bien dans mon nouveau travail. (Eu estou muito bem no meu trabalho novo)

 

  1. RESTER / RENDRE

Nãaaao, “eu fico triste” em francês não vai ser “je reste triste”! Se você quiser dizer que alguma coisa te causa algum sentimento você deverá usar o verbo rendre.

Ex. Ça me rend toujours heureuse quand tu me laisses des petits mots. (Eu fico sempre feliz quando você me deixa bilhetinhos)

 

  1. VISITER / RENDRE VISITE

Ao contrário do português e do inglês, só utilizamos o verbo visiter se o objeto da frase for um lugar.

Ex. J’ai visité un musée super intéressant ce week-end. (Eu visitei um museu super interessante nesse fim de semana)

Mas se você quiser dizer que vai visitar alguém, você deverá utilizar a expressão rendre visite.

Ex. Le mercredi, je rends visite à ma grand-mère. (Às quartas-feiras, eu visito a minha avó)

Ou, se você quiser ser menos formal, pode usar a locução aller voir.

Ex. Je vais voir un vieil ami ce soir. (Eu vou ver um antigo amigo nesta noite)

 

  1. BONNE NUIT / BONSOIR / BONNE SOIRÉE

A sonoridade e escrita parecida enganam muitos estrangeiros em relação a essas expressões. Em francês, a saudação mais comum nos horários da tarde e da noite é o Bonsoir. Deseja-se bonne nuit só para aquela pessoa que está indo dormir. Já se você quiser se despedir de alguém que não vai dormir, você pode lhe desejar uma bonne soirée.

 

  1. “CHAQUE” PARA EXPRIMIR REGULARIDADE

Pensando em “a cada”, costumamos traduzir literalmente para o chaque, em francês. Para dizer que você toma um remédio a cada dois dias, por exemplo, diríamos, erroneamente “Je prends ce médicament chaque deux jours”. Na verdade, você deveria dizer:

Je prends ce médicament tous les deux jours.

Para alguns, talvez facilite a comparação com o inglês: “I take this medicine every two days”.

 

  1. “TOUTES LES FOIS” / À CHAQUE FOIS

Muito similar com o anterior, esse é outro erro recorrente. Para dizer “toda vez” em francês, não devemos falar “toutes les fois”, e sim à chaque fois.

Ex. J’oublie à chaque fois que tu ne manges pas de viande. (Eu esqueço toda vez que você não come carne)

 

  1. DEPUIS / IL Y A

Em alguns casos, utilizamos o il y a, em francês, da mesma forma que usaríamos o “há”, em português. Por exemplo, “il y a quelque chose de différent chez toi” (há alguma coisa diferente em você).

Entretanto, para se referir ao passado, existem algumas limitações no uso dessa expressão, frequentemente mal utilizada pelos brasileiros.

Se quisermos falar de uma ação que começou no passado e já terminou, utilizaríamos o il y a. Este termo geralmente está acompanhado de algum verbo conjugado no passé composé.

Ex. J’ai fini ma licence il y a six mois. (Eu terminei a minha graduação há seis meses).

Mas se a ideia for exprimir um acontecimento que aconteceu no passado e dura o presente, falaríamos depuis, que costuma acompanhar um verbo conjugado no presente.

Ex. On se connaît depuis trois ans déjà ! (Já faz três anos que nos conhecemos!)

 

  1. MEILLEUR / MIEUX

A felicidade de descobrir que existe uma palavra super parecida com a nossa “melhor” acaba quando descobrimos que ela divide espaço no mundo gramatical com outra completamente diferente.

Então vamos te explicar: o meilleur é utilizado como adjetivo, que caracteriza um substantivo. Poderíamos substituí-lo por plus bon.

Ex. Celui-là est le meilleur film français. (Esse é o melhor filme francês)

Já o tal do mieux é um advérbio. Isso significa que ele não vai qualificar um substantivo, e sim um verbo. Nesse caso, substituiríamos por plus bien.

Ex. Elle parle mieux français que moi. (Ela fala francês melhor do que eu)

 

  1. RAPIDE / VITE

A mesma distinção adjetivo/advérbio ocorre neste caso. Mas é fácil lembrar quando usar cada palavra se pensarmos em substituir o vite por “rapidamente” e o rapide por “rápido”.

O adjetivo rapide vai caracterizar um substantivo.

Ex. Ces voitures sont rapides ! (Esses carros são rápidos!)

E o advérbio vite vai caracterizar um verbo.

Ex. Ces voitures courent vite ! (Esses carros correm rapidamente!)

 

  1. EMPREGO DO GERÚNDIO

O costume em usar o gerúndio no presente não é adotado na língua francesa. Para dizer que você está fazendo compras de supermercado, por exemplo, você não deverá dizer “je suis en faisant mes courses”, ou algo do tipo. Em vez disso, utilize simplesmente o presente. A frase correta seria:

Je fais mes courses.

Ou ainda, você pode usar o être en train de, para exprimir algo que está acontecendo nesse momento.

Ex. Je suis en train de faire mes courses.

O gerúndio, na língua francesa, pode ser usado em duas ocasiões:

  1. Para exprimir uma relação de causa e consequência.

Ex. Elle s’est cassé la jambe en faisant du ski. (Ela quebrou a perna esquiando)

  1. Quando existem duas situações simultâneas.

Ex. Je l’ai vu en sortant de chez moi. (Eu vi ele saindo da minha casa)

 

  1. “JE SUIS x ANS” / J’AI x ANS

Esse é aquele erro traiçoeiro que engana a gente na hora de montar currículo em francês ou, pior ainda, em entrevistas de emprego. Provavelmente por conta do inglês, muitas pessoas tendem a usar o verbo être para definir idade, dizendo “Je suis 34 ans”, por exemplo. Na verdade, assim como em português, usaremos o verbo avoir nesse caso. A forma correta é:

J’ai 34 ans.

 

  1. “FAIRE ANNIVERSAIRE” / AVOIR ANNIVERSAIRE

Novamente, não devemos pensar em “fazer aniversário” na hora de completar anos em francês. Se seu namorado for completar 25 anos amanhã, você não deve dizer “Mon petit-ami fait 25 ans demain”. Neste caso, vamos usar o verbo avoir:

Ex. Mon petit ami va avoir 25 ans demain.

Por outro lado, pode se dizer “faire x ans” para querer dizer que alguém parece ter x anos.

Ex. Il a 25 ans mais il fait 20. (Ele tem 25 anos, mas parece ter 20)

 

  1. “GAGNER UN CADEAU” / RECEVOIR ou AVOIR UN CADEAU

Ao contrário do português, o verbo gagner (ganhar) denota sobretudo um movimento de mérito, de ter conseguido alguma coisa. Você vai utilizá-lo se ganhar um prêmio, por exemplo, dizendo j’ai gagné un prix. Mas se você quiser dizer que ganhou um presente de alguém, a forma correta vai requerer o verbo avoir ou recevoir.

Ex. Ma soeur a reçu une bague en cadeau. (Minha irmã ganhou um anel de presente)

Ou ainda: J’ai eu plein de cadeaux à mon anniversaire. (Eu ganhei vários presentes no meu aniversário)

 

Se identificou com esses erros, né?

Para conferir os próximos 10 erros mais comuns entre brasileiros de gramática em francês, cadastre-se e receba a lista completa em seu email!


Nossa equipe de instrutores nativos já está familiarizada com os erros mais comuns dos brasileiros e vai te ajudar a estudar francês para lembrar das formas corretas. Se você ainda não conhece o Curso de Francês Online, comece agora experimentando gratuitamente nosso curso durante 7 dias para entender o funcionamento da nossa plataforma!

 

Social Shares

Artigos relacionados

Escrever comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *